Equipe

Emanuela Palma

produção e direção

Jornalista e fotógrafa, com pós-graduação em Fotografia e Imagem, na Faculdade Cândido Mendes. Trabalhou por seis anos na afiliada da Rede Globo, TV Rondônia, como produtora, repórter, editora e apresentadora. Recebeu menção honrosa do Prêmio Tim Lopes e foi finalista do Intercom 2010, com o documentário -Da Amazônia ao Pacífico: documentário sobre a Rodovia Interoceânica. Concluiu o curso de Edição, pela Academia Internacional de Cinema, no Rio de Janeiro, e frequentou o curso de Roteiro, na Escola Darcy Ribeiro. Entre os anos de 2013 e 2018 foi coordenadora de produção da Mostra Cinema e Direitos Humanos, em Porto Velho, Rondônia.  Dirigiu e produziu o documentário: Interoceânica – da Amazônia ao Pacífico, o curta: Raízes e Rainhas, e atualmente está produzindo e dirigindo o documentário Mestre Sirso – quando o mundo é silêncio a vibração é Mestre.

Geslline Braga

roteiro

Graduação em comunicação e sociologia, especialização em fotografia (UEL) e fotografia como instrumento de pesquisa nas ciências sociais, mestre (UFPR) e doutora em antropologia (USP), atualmente realiza estágio pós-doutoral no Departamento de Geografia Cultural da UFPR. Fotógrafa desde 1994. Atua como antropóloga em projetos culturais desde 2006, produzindo livros, documentários e exposições fotográficas. Professora universitária em instituições de ensino superior desde 2002, ministrando as disciplinas de fotografia e antropologia, entre 2011 e 2013 foi professora substituta do Departamento de Antropologia da UFPR. Entre 2014 e 2016 foi consultora Unesco para a difusão da política de patrimônio cultural imaterial no Brasil. Desde 2016, é roteirista, pesquisadora e diretora na Produtora de Audiovisual Transe Filmes.

Bia Herbstrith

direção de fotografia

Graduação em comunicação e sociologia, especialização em fotografia (UEL) e fotografia como Fotógrafa e Cinematógrafa do Rio de Janeiro, Pós-graduada em fotografia e imagem pelo IUPERJ/UCAM, e também formada pela Academia Internacional de Cinema do RJ e SP, pelo instituto latino-americano de cinema – SP, ateliê da imagem e ateliê oriente. Fez parte do coletivo de fotografia ONZE-17 e expôs algumas de suas obras na galeria de arte Cândido Mendes, no CCJF-RJ, no festival Internacional de Tiradentes e para BACKBONEARTS em Londres. Atualmente mora na Itália, onde procura continuar transmitindo este “efêmero” através de cliques. 

Thaís Inácio

montagem

 Trabalha com direção de cinema e montagem na 01010101. Atualmente dirige o longa ficcional scifi mineiro “Do observatório me viram”, gravado em Passa Tempo/MG, que conta a história do ufólogo Niginho. Também trabalha na distribuição independente do longa experimental “Não sei qual cidade se passa aos olhos dele”, codirigido com João Bernardo Mendonça; e o longa documental “Todo mapa tem um discurso”, também dirigido em parceria com Francine Albernaz. Em obras literárias teve participação no livro “Essa chuva que não passa”. Atualmente o processo de montagem foca no longa documental “Mestre Sirso”, com direção de Emanuela Palma. Por fim, desenvolve a montagem do curta “Eu sou o meu próprio lar”, desde o roteiro, com direção de Soraia Arnoni.

Rodrigo Boecker

design de som

Após 6 anos como produtor musical na TV Globo, Rodrigo foi editor de som e compositor para documentários, como o multipremiado curta ‘Cine Paissandu’ de Christian Jafas, os longas ‘Galáxias’ de Fabiano Maciel e ‘SeeWatchLook’ de Michel Melamed. Rodrigo é sound designer da animação ‘O projeto do meu pai’ de Rosaria Moreira, com 6 prêmios no 24º Anima Mundi. O seu longa ‘Um dia para Susana’, venceu o TFI Latin America. Estreou na 42ª Mostra de São Paulo, 40º Festival de Havana, 43º Atlanta Film Festival, 17º Gdansk DocFilm, 8º MicGénero e recebeu menção honrosa do júri no 13º This Human World.

Fábio Barbosa

trilha sonora

Músico Trompetista, Compositor e Produtor Musical, obteve seu título de Mestre em Música pela Universidade Federal do Paraná fazendo um estudo etnomusicológico na Academia de Capoeira Praia de Salvador. Atua como arranjador, compositor e diretor musical da banda Charles Racional. Foi compositor finalista do 32º Festival Universitário da Canção. Capoeirista desde 2003, atualmente ministra oficinas de musicalização à grupos de capoeira. Trabalhou como educador no Grupo Reviver, onde atendeu crianças consideradas em situação de vulnerabilidade social e portadores de HIV. Atualmente estuda e se dedica à composição e as práticas musicais dos saberes de cultura popular, como o Boi, Samba de Côco, Jongo e as práticas musicais da Capoeira. Além disso é, também, autor e produtor da trilha sonora do documentário de impacto social e cultural “Mestre Sirso – Quando o mundo é silêncio, a vibração é Mestre” visando a inclusão através da música.

Alisson Santos

trilha sonora

Formado em Educação Musical pela Universidade Federal do Paraná. Estudante de percussão, guitarrista, compositor e arranjador. Professor de musicalização na ONG Passos da Criança. De 2013 a 2015 trabalhou na CIA Maré Teatro de Matinhos – PR, como sonoplasta e compositor de trilha sonora, criando sound effects para peça “Agreste” e a trilha sonora completa da peça “Ritalina”. Foi pesquisador pelo grupEtno (grupo de pesquisa em etnomusicologia) da UFPR, com foco nas manifestações da cultura popular brasileira, principalmente nas músicas produzidas nas religiões genuinamente brasileiras, de 2017 a 2019, onde publicou o capítulo “A Música na Umbanda em uma Comunidade de Prática” no livro “Umbanda, Cultura e Comunicação – Olhares e Encruzilhadas”. Atualmente atua em projetos de impacto audiovisual como o documentário “Mestre Sirso – Quando o mundo é silêncio, a vibração é mestre”, onde atua como autor e produtor da trilha sonora.

Desiré Taconi 

tratamento de cor

Estudou cinema nas oficinas da Escola Livre de Cinema na Baixada Fluminense em 2008. Participou do Cineclube Digital elaborando cartazes no Sesc de Nova Iguaçu em 2009. Foi Assistente de Direção no curta “O que vai Ser?” em 2009 (Melhor filme Mostra da Baixada no Iguacine). Montou o curta “Rio Cidade Olímpica” na oficina Recine em 2012 (melhor filme pelo Júri Popular). Se formou em Design Gráfico no SENAC (FATEC) em 2015. Estudou Montagem na Escola de Cinema Darcy Ribeiro em 2018. Montou o curta “Catarse” (melhor filme Experimental competição estudantes no Festival Porto Femme – Portugal) em 2.

Marcella Lucas

produtora e assistente de mídias

Estudante de Letras na Universidade Federal do Rio de Janeiro; Assistente de Produção para o documentário curta Raízes e Rainhas; monitora do Projeto Luz do Saber, com enfoque na alfabetização de crianças, jovens e adultos. Editora e co-escritora do livro “Cacilda? Ivone. Revelação de uma vida” ainda a ser lançado;  produtora e assistente de mídias do documentário Mestre Sirso, quando o mundo é silêncio a vibração é Mestre..

Helen Barros

designer e mídias sociais

Atua há mais de 13 anos no desenvolvimento de marcas, campanhas de marketing, websites, aplicativos, arte digital, e desde 2017 vem se aproximando de projetos audiovisuais comprometidos em dar visibilidade a histórias de pessoas sub-representadas na sociedade. É responsável pela criação da identidade visual do curta metragem Raízes e Rainhas, que acompanha um projeto de empoderamento de mulheres negras, na Casa do Jongo da Serrinha, no Rio de Janeiro, e faz parte da equipe de comunicação do documentário Mestre Sirso: quando o mundo é silêncio a vibração é mestre.